Carregando
Recife Ao Vivo

CBN Recife

00:00
00:00
Opinião

A Primavera das Letras no Sertão

Por: SIDNEY NICÉAS
Josessandro Andrade fala sobre as iniciativas literárias que estão dando visibilidade a Sertânia e ao Sertão pernambucano

Foto: freestocks/Unsplash/Arte Tesão Literário

26/04/2022
    Compartilhe:

*por Josessandro Andrade

Escritores de Sertânia e região, e entidades ligadas à literatura e à leitura, vêm desenvolvendo um conjunto de atividades e ações que têm projetado o Sertão do Moxotó-Ipanema como vale fértil de prosa e poesia, onde o poder da palavra tem feito diferença na realidade em que estas sociedades humanas convivem.

Município que possui em sua sede espaços poéticos como a Casa dos Poetas e o Beco dos Poetas, coletivos como a SAPECAS – Sociedade dos Poetas, Escritores, Compositores e Artistas de Sertânia, a UBE- União Brasileira de Escritores (Núcleo Municipal) e o Jornal de Poesia Cabeça de Rato, agrupando poetas, romancistas, memorialistas, escritores de literatura infantil, contistas e cordelistas, Sertânia realiza o seu FLIS - Festival Literário Internacional do Sertão e promove Mesas de diálogos na Bienal Internacional do Livro de Pernambuco, em conversas entre escritores da região. 

O XIII FLIS, que aconteceu pela primeira vez de forma on-line, transmitido pela internet, iniciou dia 25 de setembro último, onde tivemos as lives de lançamento dos livros de Flávio Magalhães, Luiz Wilson, Daiane Rocha, Zé Luiz do Candeeiro, Zito Jr., Luciano Venâncio e um dos homenageados, Hamilton Rodrigues - A voz da Solidão -, que completou 80 anos. No sábado, dia 02 de outubro de 2021, às 15 horas, tivemos a continuidade da Feira do Livro sertanejo na Plataforma de lançamentos de livros de escritores de Sertânia e região, com uma super live com os escritores e poetas lançando seus livros: Ecos do Nordeste (Ésio Rafael, Ilton Pinheiro e Josessandro Andrade); Espelho quebrado (Maninha Celestino); Dividindo Sentimentos (Oziel Sousa); Teceres (Adilson Medeiros). O Festival também Celebrou os 120 anos de Alcides Lopes de Siqueira, O Doutor da Poesia; os 110 anos de Waldemar Cordeiro, O Gênio do Lirismo; os 10 anos de saudade do Poeta Luiz Carlos Monteiro; e 0s 80 anos de vida do Poeta Asa Branca do Ceará, Cantador de viola e cordelista. Os painéis tiveram como mediadores-apresentadores os escritores Josessandro  Andrade, Wilton Augusto, o ator e animador cultural Geovane Xavier e o poeta Gabriel Oscar.

A XIII Bienal Internacional do Livro de Pernambuco, que aconteceu de forma híbrida (Presencial e virtual) de 02 a 13 de outubro de 2021, teve uma forte presença de poetas, escritores e entidades literárias, culturais e educacionais do Sertão do Moxotó-Ipanema, como nunca acontecera. Dia 05 de setembro, às 16 horas, tivemos a live “Conversa com autores da UBE Sertânia (União Brasileira de Escritores – Núcleo Municipal de Sertânia), com o lançamento dos livros Pedaços da vida (de Flávio Magalhães), Caju e Castanha em Cordel (de Luiz Wilson), Fala, Coração (Daiane Rocha), Poemas em Rede - Minhas Décimas Imperfeitas (Zé Luiz do Candeeiro), Espinho de Cigano (Zito Jr.), Sexo: Hormônios em Ação (Luciano Venâncio), e um dos homenageados, Pelas Veredas da Vida (de Hamilton Rodrigues), Ecos do Nordeste (Ésio Rafael, Ilton Pinheiro e Josessandro Andrade), Espelho Quebrado (Maninha Celestino), Dividindo Sentimentos (Oziel Sousa), Teceres (Adilson Medeiros) e Coro das hienas (Josessandro Andrade). Tudo ainda pode ser acompanhado pelo site: https://bienalpernambuco.com/.

Teve mais Sertânia e o Sertão do Moxotó-Ipanema na programação da Bienal: começou sábado, dia 02 de outubro, às 19h, “Moxotó das Letras - o Impacto Social do Letramento: a Experiência do Lar Fraterno Vovó Cavendish (Sertânia-PE), Com André Pinheiro, Sidney Nicéas, Cristina Amaral e Nena Queiroga. Dia 10 de outubro, na sala de oficinas, houve palestra com o pastor Edson Soares sob o tema “Projeto eu gosto de ler - uma experiência de incentivo à leitura na zona rural de Sertânia”, que é sediado no sítio Caroá. A palestra “Educação e cultura como agentes de transformação: os projetos da Fundação Terra (Arcoverde-PE), com o sociólogo e escritor Wellington Santana, irmão do também escritor Padre Airton Freire, no auditório círculo das idéias, dia 12 de outubro, às 12 h, no auditório círculo das idéias.

CULTURA SOLIDÁRIA E A PRIMAVERA DAS LETRAS

Podemos ver que a cidade e a região têm uma presença literária e poética muito forte. Sertânia, tida como “República da Poesia” e “Berço nacional de poetas e escritores”, localizada no Sertão do Moxotó-Ipanema, tido como “Vale fértil de prosa e poema”, ambos sediam projetos sociais de leitura de grande impacto nas comunidades, salientando uma nítida cultura solidária, onde escritores, artistas, padres, pastores, líderes espíritas e escolas armam-se de livros para transformar vidas e mudar as comunidades. “Aqui no Sertão do Moxotó-Ipanema estamos vivendo uma “Primavera das letras”, pois além destes três projetos de educação, cultura e leitura, tivemos recentemente dezenas de escritores lançando seus livros no FLIS e depois na Bienal. Além disso, temos grande presença no Livro “Ecos do Nordeste”, antologia poética que vem publicando poetas nossos em Portugal, numa parceria com a Infinita Lisboa, de Adriana Mayrink. A Bienal está dando visibilidade a Sertânia e ao Moxotó-Ipanema, fruto deste momento maravilhoso que estamos vivendo”, destacou Gabriel Oscar. Para ele, Sertânia continua fazendo jus à conquista do Prêmio Nacional Viva a Leitura 2009, do Ministério da Educação e Ministério da Cultura, que tornou Sertânia referência nacional em Literatura e leitura.

De acordo com Wilton Augusto, a participação de Sertânia na Bienal de forma tão robusta só foi possível graças a UBE - União Brasileira de Escritores, sobretudo a Renato Siqueira e Rogério Generoso, e a equipe da Companhia de Eventos e Ideação, parceiros na Bienal. Em Sertânia, além da UBE Local, a ACORDES - Associação Cultural de Sertânia e a SAPECAS - Sociedade dos Poetas, Escritores , Compositores e Artistas de Sertânia, são parceiros envolvidos também. 

--

Josessandro Andrade é um poeta e professor de Sertânia (PE). Publicou o Livro "Com Cheiro de mar e Quixabeira", (Moxotó, 2015), além de mais de dez folhetos de Literatura de cordel de sua autoria. Como Compositor, tem músicas em parceria com dezenas de compositores parceiros. Participação com poemas publicados em Várias Antologias Poéticas Internacionais, Conexões Atlânticas (Poetas brasileiros e Portugueses), vol.I (2017) e vol.II (2018) e Ecos do Nordeste (Poetas Nordestinos), ambas publicadas em Portugal, sendo que desta última foi co-organizador com Adriana Mayrinck, da INFINITA Lisboa (Assessoria Literária); e Nacionais: Festival Vamos Fazer Poesia (Serra Talhada-PE), Edições 2016, 2017 e 2018. Sempre se apresenta recitando seus poemas em manifestações de rua e nas praças públicas, em eventos do Sindicato dos trabalhadores rurais, Sindicato dos Trabalhadores em educação e passeatas da classe estudantil em sua cidade. Autor teatral com várias peças de sua autoria encenadas e premiadas, jornalista, editor de suplementos literários, professor e palestrante. No Ano em que completa 50 anos, vê sua poesia presente em vários estados do Nordeste e no exterior e vários eventos celebrando esta sua marca.

Notícias Relacionadas

Comente com o Facebook