Carregando
Recife Ao Vivo

CBN Recife

00:00
00:00
Literatura

Conexão RJ: Sigo Vivo

Por: SIDNEY NICÉAS
O professor e universitário Renato Sousa volta ao Tesão com  um texto dedicado à angústia sufocada.

Foto: Johannes Plenio/Unsplash

21/11/2023
    Compartilhe:

*por Renato Sousa

Fique com suas lembranças e suas fotos, não aguento mais, estou indo embora a pé – os ônibus estão muito caros. Prefiro andar daqui até minha casa, rever toda esta loucura em que me meti para salvar você. Sim, salvar você! Essa roda gigante está me fazendo vomitar. Está na hora de parar de girar. Meu Deus, por favor baixe a ponte levadiça, quero sair deste castelo. Vou andar - andando posso até descobrir os caminhos que fizeram Clarice Lispector voltar a sorrir. Sei que ela morava por essas bandas, não sei a rua. Andar faz bem. Sabe aquela coisa da espaçonave Columbia que vez em quando viajava para a Lua? E quando ia ganhando altura soltava no espaço suas partes, lembra disso? Estou exatamente assim, pretendo andar daqui até a Lapa deixando pedaços pelo chão. O peso de toda essa história não está me fazendo bem. Não tenho forças para continuar neste ringue, não sou Rock um lutador. Quero a democracia das ruas para seguir nova direção. 

Tenho que me salvar. Os amigos já não são tão amigos, as estradas não me levam a nada, mentiras tomam o lugar das verdades, o pastel da feira está mais caro que um quilo de feijão - tudo parece estar na contramão. A cidade está suja, insuportável; o país é governado por quem foge da luta, rola uma guerra horrível na Ucrânia, no Oriente Médio acontecem mortes absurdas, mas ainda tem gente tomando cerveja despreocupadamente na mureta da Urca. Uma loucura inimaginável. O que fazer? Sou maior de 21 anos, minha mente beira um curto-circuito, mas não assisto lutas em canais de combate! Prefiro músicas que falem de ternura. Pouco me importa se o micro-ondas esquentou ou não a comida. Não preciso comer. Preciso andar, andar, andar, a pé, mesmo que os joelhos reclamem, mesmo que o tênis não aguente, andarei. Ainda que eu ande pelos vales das sombras, não estarei sozinho, alguém sopra no meu ouvido. São Jorge por favor me empresta o Dragão! 

Vou continuar andando como se Moisés estivesse a minha frente com seu cajado gritando – vamos, ande, o deserto ainda será extenso. Não chore, não acuse cansaço, ande e tenha fé no porvir! O deserto não tem água. Você precisa de água? Não precisa? (Se precisasse teria tomado muita água antes de sair de casa). Nunca pensei nisso; sempre convivi com a sede. Melhor é continuar andando, parar de pensar! Não nasci virado para a lua, relembra minha consciência. Aproveito e observo a paisagem. Reparo que em cada rua tem uma árvore. Cada árvore produz oxigênio para minha respiração. Respiro, não penso mais no que deixei. Solto todo o venenoso gás carbônico, as árvores darão conta dele também. Não escuto mais aquelas músicas antigas, nem entro no túnel do tempo contaminado pelas amarguras. A história continuará se desenrolando mesmo que eu não encontre uma saída. Sigo e Vivo! 

Que vida? Que sutura queremos todos nós? Medicamentos podem ajudar, mas se você não tomar água - como vai sobreviver?  A vida sem água pode escurecer de repente. E vai que cai um pé d’água daqueles que tem maltratado o Rio de Janeiro. Se cair você estará despreparado. Não há abrigo, não tem mais nem marquise nas ruas que possa lhe proteger. Não tente entender a memória de ninguém; cuide da sua. Se chover, deixe a água molhar sua alma, assim você verá a importância de ser novamente batizado neste momento de inflexão. Não se culpe – continue andando, não cuspa, continue andando. Se você andar na direção certa não será mais ultrapassado - o céu deve ser algum lugar onde o Kenny Rogers esteja cantando. Você ouvirá vozes - Joana D’arc também ouviu - mas continue.  Ela era apenas uma jovem (17 anos) que lutou com a força do seu crucifixo vencendo mais de mil homens!  Você não enfrenta nem um terço! Lute, saia deste cubículo que você por si só se meteu. Faça sua História, não fraqueje mais. Continue andando, você não foi enganado. Ande, ande. Um dia, quem sabe? Você poderá correr a São Silvestre! 

--

Prof. Renato Ferreira de Sousa é administrador, gestor de carreiras, mentor de talentos e universitário. 

https://www.instagram.com/profrenato.sousa/ 

Notícias Relacionadas

Comente com o Facebook