Carregando
Recife Ao Vivo

CBN Recife

00:00
00:00
Acontece

Da Casa de Passagem para a Europa

Por: SIDNEY NICÉAS
e-Bienal destaca pernambucana radicada na Suíça que ajuda brasileiras vítimas de violência na Europa

Foto: Divulgação

28/12/2022
    Compartilhe:

*por Sidney Nicéas

A escritora pernambucana Ângela Brodbeck tem uma história impressionante: jovem carente assistida pela extinta Casa de Passagem (ONG cuja missão era tirar meninas das ruas do centro do Recife para ressocialização), onde se tornou Agente Multiplicadora de Informações, entregou carta pedindo mudanças no país ao então Presidente da República Fernando Henrique Cardoso, sofreu abusos sexuais na infância, foi violentada na adolescência e hoje mora na Suíça, onde publicou a autobiografia “Filha do Nordeste Brasileiro” e toca atualmente o projeto voluntário Espaço Internacional da Mulher, que ajuda brasileiras vítimas de violência na Europa. Essa história será o foco do encontro on-line “Da Casa de Passagem para a Europa: a vida de Ângela Brodbeck que deu um livro”, promovido pela Bienal Internacional do Livro de Pernambuco na próxima quinta (29), às 20h, ao vivo na plataforma ebienal.com. A mediação é do escritor Sidney Nicéas.

Todo o caminho vivido fez Ângela mergulhar no projeto Espaço Internacional da Mulher, totalmente online e com foco na mulher brasileira no Exterior, embora trabalhe também com um grande público de brasileiras residentes no Brasil. São 11 pessoas na equipe, dentre psicólogas, advogadas, psicopedagoga e sexóloga, que buscam atenuar os efeitos da violência sofrida pela mulher brasileira na Europa, apoiando-as em vários níveis. O trabalho de Ângela tem sido reconhecido: ela ganhou o Prêmio Luiza Brunet 2022 de Enfrentamento à violência contra à Mulher, em cerimônia organizada pela High Profile, na Torre Eiffel, na França.

O projeto Espaço Internacional da Mulher é amparado por dados preocupantes. Segundo o levantamento mais recente do Itamaraty, em 2020 mais de 4,2 milhões de brasileiros viviam no exterior, sendo mais de 1,3 milhões somente na Europa - e esse número aumentou significativamente de 2021 para cá. Pra piorar, a violência contra brasileiras entre 2019 e 2020 chegou a 213 casos notificados (número considerado inferior devido a subnotificação de casos dessa natureza); mundialmente, 58% das mulheres são mortas por homens próximos, como pais, irmãos ou parceiros. Na Suíça, país onde funciona o projeto de Ângela, as estimativas do Governo apontam que 01 pessoa morre por conta de violência doméstica a cada duas semanas, sendo que 62,6% desse montante é de mulheres - e parte significativa desse número é de estrangeiras, incluindo brasileiras.

Diante desse quadro, o projeto realiza lives rotineiras em suas redes sociais, que têm atraído muita atenção de quem precisa de ajuda, seja ao menos uma palavra de tranquilidade, fé e esperança. “Falamos sobre depressão, algo muito frequente na Europa. A quantidade de brasileiras internadas em clínicas aqui é muito grande, então trabalhamos em cima dessas informações como forma de prevenir ou fazer a pessoa ter consciência de que precisa de ajuda; violência doméstica, abuso de menores, questões de divórcios onde a mulher brasileira fica numa situação frágil, estando longe do seu país, pois as leis não facilitam para a mulher estrangeira, dentre vários outros temas. Nossas lives têm esse intuito, de informar para que haja prevenção”, explica Ângela.

Dentro do projeto há um trabalho específico, intitulado Amenize a Dor, mais focado no acolhimento psicológico e afetivo. “É um projeto dentro do projeto, com atendimento psicológico para mulheres em situações de relacionamento abusivo. Nossas psicólogas fazem esse atendimento quando a mulher entra em contato conosco pedindo ajuda. Já recebemos pessoas tanto residentes no Brasil quanto na Europa, porém, é um trabalho totalmente sigiloso, como a ética pede, por isso não divulgamos o nome das pessoas atendidas”, afirma.

Este trabalho social é mais um capítulo na vida da escritora, que além das violências sexuais, sofreu bullying na escola e desenvolveu Síndrome do Pânico. Tendo publicado sua história na autobiografia Filha do Nordeste Brasileiro, onde conta detalhes impressionantes da sua vida - especialmente dos abusos na infância e do estupro que sofreu, aos 17 anos de idade, quando era Agente Multiplicadora de Informações da Casa de Passagem - projeto importante que ajudou a resgatar vidas, comandado por Ana Vasconcelos. O fato teve repercussão na imprensa e motivou protestos nas ruas. Ângela lançou também o romance de ficção intitulado Samantha. A escritora participou recentemente da Feira Literária de Lisboa, em Portugal, tendo recebido o Troféu Cultura sem Fronteiras, prêmio de reconhecimento durante o nono aniversário da Rede sem Fronteiras, em solenidade realizada no Grêmio Literário de Lisboa, em setembro último. 

MOSTRA TUA ARTE NA SUÍÇA- Ângela Brodbeck também tem se destacado como escritora e incentivadora da arte brasileira no exterior. Sua história e a necessidade de apoiar artistas brasileiros na Europa a fez criar também o projeto Mostra tua Arte na Suíça, que recebeu prêmios no Brasil - da Câmara Brasileira de Cultura (PB) e da Academia de Ciências e Arte de São Paulo (SP). “Criei o projeto pensando nas dificuldades de outros escritores e artistas na difusão dos seus trabalhos na Europa. Os reconhecimentos recebidos atestam que o caminho traçado é mesmo necessário”, afirma Ângela. “Tanto o projeto voltado para as mulheres quanto este para os artistas não possuem nenhum tipo de convênio. Fazemos tudo por puro prazer em ajudar”, conclui. 

Além dos projetos e livros publicados, ela também participa de um documentário que destaca o trabalho de Ana Vasconcelos, filme da cineasta pernambucana Carla Sarmento, previsto para estrear em 2023. Ângela ainda é colunista de literatura da Revista Brasil Alpino e trabalha no Aeroporto Internacional de Zurique, na Suíça.


--

SERVIÇO

Da Casa de Passagem para a Europa: a vida de Ângela Brodbeck que deu um livro

Quinta-feira, 29 de dezembro de 2022, às 20h (Acesso gratuito)

Ao vivo pela plataforma da Bienal de Pernambuco, ebienal.com.

Redes Sociais:

https://www.instagram.com/angela.brodbeck/ 

https://www.instagram.com/e.da.mulher/ 

https://www.instagram.com/mostratua.artenasuica/ 

Notícias Relacionadas

Comente com o Facebook