Carregando
Recife Ao Vivo

CBN Recife

00:00
00:00
Policial

Deflagrada em Recife Operação Miami Fone: os criminosos se faziam passar pela vítima e pediam cartão de crédito emergencial para fazer compras

Por: REDAÇÃO PORTAL
Deflagrada em Recife Operação Miami Fone: os criminosos se faziam passar pela vítima e pediam cartão de crédito emergencial para fazer compras
21/07/2023
    Compartilhe:

Com a colaboração da Diretoria de Operações Integradas e de Inteligência da Secretaria Nacional de Segurança Pública (Diopi/Senasp/MJSP), a Polícia Civil de Pernambuco deflagrou, na terça-feira (18/7), mais uma fase da Operação Miami Fone.

Iniciada em 2019, a operação mira uma organização criminosa transnacional, cujos membros utilizavam o cartão de crédito das vítimas, moradoras de Recife, para realizar compras de grande nos Estados Unidos. A estimativa de prejuízo é de R$ 5 milhões.

Foram cumpridos quatro mandados de prisão, três de busca e apreensão, seis de busca e apreensão pessoal, sequestro de bens e bloqueio judicial de ativos financeiros, todos expedidos pelo Juízo da 7ª Vara Criminal da Comarca de Recife. Os crimes investigados são estelionato, receptação qualificada, lavagem de dinheiro e falsidade ideológica.

Coordenada pela Delegacia de Polícia de Repressão aos Crimes Cibernéticos da Polícia Civil, as investigações da Operação Miami Fone foram assessoradas pela Diretoria de Inteligência da Polícia Civil de Pernambuco (DINTEL) e receberam apoio do Banco do Brasil e da Secretaria de Estado de Polícia Civil do Rio de Janeiro (SEPOL). No total, 40 policiais civis dos Estados de Pernambuco e Rio de Janeiro participam das diligências.

Como funcionava

Conforme a investigação, de posse dos dados cadastrais e bancários da vítima, os criminosos ligavam para a operadora passando-se pela vítima e solicitavam bloqueio da linha ou troca da titularidade, com o objetivo de tornar o verdadeiro proprietário da linha inacessível, fazendo com que não recebesse notificações sobre a emissão de cartão de crédito emergencial ou compras.

Em um segundo momento, outro criminoso entrava em contato com a operadora do cartão nos Estados Unidos, passando-se pela vítima e solicitando um cartão emergencial, alegando perda. Após receber o cartão, os criminosos compravam diversos smartphones em compras que ultrapassavam R$ 30 mil.

Para finalizar o golpe, a quadrilha trazia os aparelhos para o Brasil sem pagar qualquer imposto com o objetivo de revendê-los. Após serem constatados vários casos simultâneos ocorridos em datas próximas, a Polícia Civil de Pernambuco reuniu dados de todos os boletins de ocorrência em um único inquérito policial.

 

Velho golpe

Já em 2015 a polícia tinha deflagrado uma operação similar também em Recife (a Operação Miami), na época foram prendidas 4 pessoas, e foi informado que a quadrilha tinha movimentados 8 milhões de reais e ostentava nas redes sociais. Além disso, se constatou que 30 pessoas estavam aplicando o mesmo golpe em 149 instituições financeiras no mundo enterro.

Notícias Relacionadas

Comente com o Facebook