Carregando
Recife Ao Vivo

CBN Recife

00:00
00:00
Saúde

Família e tecnologia: aliados no tratamento dos doentes de Parkinson

Por: REDAÇÃO PORTAL
Na semana que é lembrado o Dia Mundial da doença é necessário atenção redobrada  da família, com as dificuldades dos portadores com a tecnologia e também de realizar outras atividades  do tratamento
09/04/2021
    Compartilhe:

Com objetivo de melhorar a qualidade de vida de quem tem a doença de Parkinson, há quase 22 anos, a Associação de Parkinson de Pernambuco (ASP-PE) vem oferecendo um conjunto de serviços para este público. Quem tem a doença que é lembrada mundialmente no próximo domingo (11), além de manter o isolamento social por causa do covid-19, tem outro desafio: se aliar a tecnologia para manter o tratamento necessário.  Pois, além da medição e atividades lúdicas, os portadores fazem terapias e precisam ser acompanhados por psicóloga, fisioterapeuta e fonoaudióloga, por exemplo.

A ASP-PE tem se empenhado para manter algumas atividades em grupo na modalidade remota/on-line, bem como através da assistência individual por telefone. Mas ainda assim, a instituição percebeu uma redução da participação dos associados nas atividades, o que torna indispensável que tanto os portadores da doença como a família estejam atentos às necessidades e cuidados que as pessoas doentes apresentam.

"Entendemos que a tecnologia e o acesso à internet têm possibilitado ótimas experiências de suporte e enfrentamento diante do cenário pandêmico. Mas é necessário também considerar que nem todas as pessoas diagnosticadas tem acesso e facilidade em lidar com essas ferramentas", revela Sirley Almeida, psicanalista e vice-presidente da Associação de Parkinson de Pernambuco.

Como o acesso aos tratamentos externos estão diminuindo, as famílias devem redobrar os cuidados, e ajudar no tratamento do doente. É necessário a compreensão diante das dificuldades e limitações ocasionadas pela doença, quanto em relação ao suporte na realização dos exercícios, atividades diárias e principalmente na conexão virtual com os profissionais de saúde.

 

Possibilitar o diálogo e, se possível, momentos de descontração é fundamental para favorecer a interação entre a pessoa com doença e os demais membros da família, já que o isolamento e o distanciamento das atividades em grupos podem representar um risco para que essas pessoas se sintam desmotivadas em relação ao tratamento.

Localizada no Parque de exposições do Cordeiro, na Av. Caxangá, a Associação de Parkinson de Pernambuco (ASP-PE), auxilia no tratamento que é realizado com medicação contínua, além do apoio de psicólogo, fisioterapeuta, fonoaudiólogo e terapias complementares, para estimular a mente e corpo. 

 

Notícias Relacionadas

Comente com o Facebook