Carregando
Recife Ao Vivo

CBN Recife

00:00
00:00
Policial

Caso do Padre Airton Freire se complica, possíveis novas vítimas de estupro são causa do indiciamento dele e outras três pessoas.

Por: REDAÇÃO PORTAL

Foto: Padre Airton e Silvia tinham amizade cercana (Imagem: internet)

26/07/2023
    Compartilhe:

Com informações do G1, JC, e outras mídias -O padre Airton Freire de Lima e três funcionários dele foram indiciados pela Polícia Civil de Pernambuco em dois inquéritos que apuraram denúncias de crimes sexuais. A informação foi repassada em coletiva de imprensa, realizada na tarde desta quarta-feira (26).  

Os dois inquéritos são relacionados às denúncias feitas por duas vítimas, que acusaram o religioso e funcionários por estupro. A polícia, no entanto, não quis informar qual tipo de crime sexual, previsto no Código Penal Brasileiro, foi atribuído aos indiciados na conclusão dessas duas primeiras investigações - sob o argumento do segredo de justiça.

Há ainda três inquéritos em andamento, de mais três supostas vítimas. Uma delas é um homem que disse também ter sofrido abuso sexual após supostamente ter sido dopado.

"Os relatos das vítimas merecem credibilidade. Todas essas mulheres e um homem, que não se conhecem, relataram de forma detalhada, segura, de forma emocionada. Demonstraram dor em relembrar os fatos. E não há nenhum indicativo de que estão inventando, fantasiando algo sobre um homem que, por elas, era como um homem santo", afirmou a delegada Andrezza Gregório. 

Padre Airton Freire, que é fundador da Fundação Terra, foi preso preventivamente no dia 14 de julho em Arcoverde, no Sertão de Pernambuco, durante uma operação que também cumpriu mandados de busca e apreensão. Ele estava numa cela isolada do Presídio Advogado Brito Alves.

No último sábado (22), após passar mal, o religioso foi encaminhado para o Hospital Memorial Arcoverde e, no dia seguinte, para o Hospital Português, no Recife. O estado de saúde não é informado, mas a defesa alega que ele teve um princípio de acidente vascular cerebral (AVC) e que está em tratamento na UTI. 

O motorista Jailson Leonardo da Silva e Landelino Rodrigues da Costa filho, que realizava filmagens de missas e eventos na Fundação Terra, também tiveram as prisões preventivas decretadas pela Justiça, mas ainda não foram encontrados.

Os suspeitos são considerados foragidos, por isso os nomes foram divulgados para que a sociedade ajude com informações sobre o paradeiro deles.

O nome do quarto indiciado - que também é motorista da fundação - não foi revelado pela polícia sob o argumento de que não houve a decretação da prisão preventiva. O homem foi indiciado por crime de falso testemunho.  Espere ampliação dessa noticia.

Veja mais informações aquí 

Notícias Relacionadas

Comente com o Facebook