Carregando
Recife Ao Vivo

CBN Recife

00:00
00:00
Internacional

Japão verterá água radiativa ao mar, e ninguem está fazendo nada.

Por: REDAÇÃO PORTAL
A central Nuclear de Fukushima sofreu um acidente nuclear faz 12 anos por causa de terremoto seguido de tsunami.

Foto: Peixe encontrado em Fukushima niveis de radioatividade 180 vezes acima do normal. Foto:reprod. GreenMe Brasil

22/08/2023
    Compartilhe:

O governo japonês vai começar essa semana a lançar água radiativa ao mar. O país oriental garante que o processo é seguro, pois a água foi filtrada para remover a maioria dos elementos radioativos, exceto o trítio, um isótopo de hidrogênio que é difícil de separar da água. A água tratada será diluída até ficar bem abaixo dos níveis de trítio aprovados internacionalmente, antes de ser jogada no oceano.

Quinta feira (24/8) será a data em que começará a verter os resíduos radiativos ao mar, a liberação da água acontece quase 12 anos após o um terremoto seguido de um tsunami produzir um acidente de fusão nuclear na central de Fukushima em 2011.

A pesar da aprovação da Agencia Internacional de Energia Atômica, a notícia criou preocupação entre países e grupos ambientalistas. Em Coreia do Sul se deram protestos nas ruas e o governo da China proibiu a importação dos produtos de 10 províncias do Japão.

A central nuclear de Fukushima tem armazenadas 1,33 milhões de toneladas de água radiativa, e não conta com mais capacidade para guardá-la.

Ainda o Governo chinês criticou a prática como irresponsável e violatoria do direito internacional.

O governo japonês vai começar essa semana a lançar água radiativa ao mar. O país oriental garante que o processo é seguro, pois a água foi filtrada para remover a maioria dos elementos radioativos, exceto o trítio, um isótopo de hidrogênio que é difícil de separar da água. A água tratada será diluída até ficar bem abaixo dos níveis de trítio aprovados internacionalmente, antes de ser jogada no oceano.

Quinta feira (24/8) será a data em que começará a verter os resíduos radiativos ao mar, a liberação da água acontece quase 12 anos após o um terremoto seguido de um tsunami produzir um acidente de fusão nuclear na central de Fukushima em 2011.

A pesar da aprovação da Agencia Internacional de Energia Atômica, a notícia criou preocupação entre países e grupos ambientalistas. Em Coreia do Sul se deram protestos nas ruas e o governo da China proibiu a importação dos produtos de 10 províncias do Japão.

A central nuclear de Fukushima tem armazenadas 1,33 milhões de toneladas de água radiativa, e não conta com mais capacidade para guardá-la.

Ainda o Governo chinês criticou a prática como irresponsável e violatoria do direito internacional.

Notícias Relacionadas

Comente com o Facebook