Carregando
Recife Ao Vivo

CBN Recife

00:00
00:00
Literatura

Mais do que uma vida: para que não se repita

Por: SIDNEY NICÉAS

Foto: Divulgação/Mangue Editora

16/08/2023
    Compartilhe:

*por Sidney Nicéas

Biografia costuma ser confundida com a verdade absoluta de uma vida. Não. São muitas as vidas numa só. São muitas memórias repletas de realidade e ficção misturadas na mente. Acima de tudo, há histórias e histórias. Nesse ponto, a biografia Todos os Amores de Lourdes, escrita por mim e que está em financiamento coletivo, ganha contorno especial - e não pelo autor ou pela biografada em si; mas pelos absurdos impostos que permanecem atazanando os seres humanos. Sim, a miséria humana persiste e a história de Lourdes Alencar precisa ser contada, para que não continue a se repetir.

A vida da menina que foi violentada diversas vezes pelo pai - e que encerrou aquele ciclo de violência diante de um fenômeno espiritual inexplicável - poderia ter levado a então jovem a crescer vingativa. Lourdes Alencar apanhou da vida mas fez da luta uma bandeira: além dos 3 filhos de barriga, adotou outros 10 e ajudou tantos outros seres largados à igual miséria que sempre a perseguiu. A história de cada filho adotado impressiona, da menina largada numa delegacia abusada pelos policiais que deveriam protegê-la à bebê abandonada numa caixa de sapato quase comida por um cachorro de rua; do menino torturado pela mãe à jovem abandonada pela família por ter engravidado de um homem casado. Da mulher epiléptica e abusada pela família ao homem que ninguém quis estender a mão. Todos encontraram em Lourdes um braço poderoso, salvador. Todos.

E não há romantismo nisso - a vida não costuma ser mesmo romântica. Mas a realidade dura abre também fendas para oásis impensáveis. Para Lourdes foi Umbuzeiro, a cidade paraibana onde residia boa parte da família materna e que Dona Zefinha (mãe de Lourdes), após tanto tormento - apanhava do marido e descontava na filhinha -, decidiu ir para se curar de umas dores estranhas na barriga e tentar acalmar as coisas em casa. Lá foi o único lugar onde a menina se sentiu… menina. Recebia atenção e carinho de uns, aprendia a lida na casa de farinha, se divertia com os primos.

A literatura também foi refúgio: com o primo Eraldo compartilhava a leitura de revistas e livros, poemas, romances. Foi com Alice no País das Maravilhas que Lourdes pareceu se transportar da realidade para um mundo próprio - se Alice podia, porque ela não? Aprendeu que nenhum demônio poderia lhe tirar a alma, que havia muitos seres mágicos que a protegiam, que nem todo mundo no mundo era diabo. Lourdes contava a história de Alice em Umbuzeiro - e outras que inventava - e ninguém a chamava de mentirosa. Aquilo foi uma base importante para voltar para o Recife e seguir a vida.

Adulta, teve duas idas e vindas entre São Paulo e Recife. Muita história boa, ruim, trágica, mágica. E muito amor. Não esse amor dourado que se apregoa por aí; amor duro, real, de dar sangue e muitas vezes nada receber em troca (e isso não é mesmo amar?). Lourdes se transformou aos poucos numa mulher sempre de guarda fechada e coração aberto, pronta para defender e acolher crianças, jovens e adultos que estivessem perecendo apenas por estarem vivos. Depois veio a liderança na comunidade, os trabalhos políticos, as tragédias pessoais e cada filho estudando e tomando rumo. E tome vida. (o book trailer que ilustra este post é só um exemplo, fruto de uma entrevista informal com Dona Lourdes, que revela parte dos efeitos vivenciados por ela até hoje)

Aliar os relatos obtidos através das centenas de entrevistas realizadas com as pesquisas comprobatórias, muitas que acabaram tendo a cidade do Recife como centro, foi desafio. Todos os Amores de Lourdes nasceu, assim, de uma necessidade: fazer da história de Lourdes Alencar ponte para combater os abjetos humanos. É esta história, com muitos mais do que o que foi brevemente narrado aqui, que está em financiamento coletivo pela plataforma Kickante - essa forma de apoio é uma maneira de ajudar ao projeto ganhar vida, garantindo a obra antecipadamente a financiando os custos demandados.

Para ajudar, acesse o link da campanha, escolha a modalidade de apoio (há seis delas: livro com marcador, e-book, camisa, almofada, ecobag, quadro… são muitas as opções de brindes para você ajudar e também receber mimos) e faça o pagamento conforme sua vontade (pix, boleto, cartão de crédito à vista ou parcelado). O importante é não deixar passar a oportunidade de dar vida a um projeto que nasceu para dar vez aos que sofrem calados nas esquinas deste país.

Lourdes Alencar vive atualmente em sua casa, no Recife, na mesma área que invadiu e ocupou junto com tantas outras famílias nos anos 1980, com seu atual marido e alguns dos filhos que adotou. Ela, que já sofreu dois infartos e teve um princípio de AVC, só quer “viajar” (morrer) quando o livro estiver publicado - e sempre brinco que ela não pode ir agora -, fazendo cumprir as palavras de Frei Damião, que um dia afirmou que ela publicaria sua história em livro. Chegou a hora. Conto com vocês.

--

SERVIÇO

Biografia Todos os Amores de Lourdes, de Sidney Nicéas

Financiamento Coletivo: https://www.kickante.com.br/financiamento-coletivo/todos-os-amores-de-lourdes 

Modalidades de Apoio: a partir de R$75 

Recompensas: marcador de livro, o e-book da obra, camisa, ecobag, almofada e quadro decorativo

Formas de pagamento: pix, boleto, cartão de crédito à vista ou parcelado

Assista ao Book Trailer: https://www.youtube.com/watch?v=40vsEmx4Iuo 

Notícias Relacionadas

Comente com o Facebook