Carregando
Recife Ao Vivo

CBN Recife

00:00
00:00
Saúde

O que uma escova de dentes pode fazer pela saúde do nosso coração?

Por: REDAÇÃO PORTAL
A saúde bucal e a doença cardíaca estão conectadas, sendo o sangramento o primeiro sinal de alerta.

Foto: Higiene bucal é a melhor prevenção. Imagem: Cortesía

19/08/2023
    Compartilhe:

Não é surpresa que manter a saúde bucal ajuda no bom funcionamento do organismo como um todo. Isso acontece porque nosso corpo é conectado. Doenças ou alterações em uma parte do corpo podem afetar outra parte. Ou seja, há casos, por exemplo, em que a inflamação na gengiva pode até gerar alterações cardíacas.

 

A tutora da Odonto FPS, Leila Coimbra, explica sobre o olhar que o profissional deve ter em relação ao paciente quando isso acontece. "Se a gente pensar em saúde, a gente tem que avaliar o paciente como um todo. Saúde significa o paciente estar saudável de uma maneira geral", afirmou. 

 

"A gente não pode separar a boca dos outros órgãos do corpo. Existem vias que podem levar as bactérias presentes na via oral até o coração ou outros órgãos, causando alterações ou agravando algum quadro que o paciente porventura apresente", completou.

 

A saúde bucal e a doença cardíaca estão conectadas, sendo o sangramento o primeiro sinal de alerta. "O tecido gengival possui uma série de vasos sanguíneos e nervos. Então, a partir do momento que o paciente não faz uma escovação correta, ocorre o acúmulo de bactérias nesse tecido gengival e esses microorganismos podem cair na corrente sanguínea, disseminarem-se pelo corpo do paciente e atingir órgãos mais distante, como o coração (causando ou agravando alterações cardíacas) e articulações. O processo de deslocamento das bactérias pelos vasos sanguíneos se chama bacteremia transitória", explica Leila. 

 

Gengiva e coração: ligação direta

 

As alterações gengivais que mais precisam de atenção são a gengivite e periodontite. A tutora da Odonto FPS explica que a gengivite é o processo inflamatório inicial, causado pelo acúmulo de bactérias e acomete o tecido gengival. Se essa gengivite não for tratada a tempo, ela evolui para uma periodontite. Isso significa que a inflamação deixa de ficar só no tecido gengival e passa a acometer outros tecidos do periodonto, como o tecido ósseo, ligamento periodontal e o cemento radicular, tornando-se um fator de risco para doenças cardíacas e pulmonares. 

 

A periodontite tem uma ligação direta com a endocardite bacteriana, que é um processo inflamatório nas paredes do coração causado pelo acúmulo de bactérias presentes na cavidade oral. Leila explica que "quando há um caso de endocardite bacteriana e o paciente não faz uma higienização bucal adequada, ocorre esse acúmulo de bactérias na cavidade bucal, e esses microorganismos caem na corrente sanguínea e chegam ao coração, agravando o quadro do indivíduo".  

 

Higiene bucal é a melhor prevenção

 

A principal forma de prevenir doenças e alterações na gengiva é mantendo uma higiene bucal adequada. "Muitas vezes o paciente chega ao consultório e diz 'doutora, eu escovo os dentes 3x por dia, uso fio dental e estou com a gengiva inflamada', mas será que está fazendo a escovação de forma correta? Será que usa o fio dental efetivamente? escovação não significa força, significa jeito, escovar de forma adequada, em um período certo de tempo", afirma Leila.

 

A tutora da Odonto FPS também orienta que o paciente leve a escova de dentes nas consultas com o objetivo de avaliar se a escova está adequada. "O ideal é que a escova tenha cabeça pequena, cerdas macias e que elas estejam no mesmo nível de tamanho", explica. "Esse acompanhamento é importante para saber se o paciente está fazendo a higienização de forma correta e evitar o acúmulo de bactérias na cavidade oral e as inflamações. Além disso, não adianta vir ao consultório realizar o tratamento e, em casa, não manter a higienização adequada", completa.

 

Por fim, Leila explica que, junto à escovação, é necessário manter o uso correto do fio dental. Ela orienta que a maneira certa é "abraçando o dente", colocando o fio entre um dente e outro, indo até o fim da gengiva e depois retirando o fio. "Uma pergunta que os pacientes fazem muito é: 'uso primeiro o fio dental ou a escova?' O que a teoria diz é que primeiro deve ser feito a utilização do fio dental e depois a escovação, pois o fio dental remove as bactérias que estão entre os dentes, criando um espaço maior para disseminação do flúor da pasta de dente", finaliza. 

 

Notícias Relacionadas

Comente com o Facebook