Carregando
Recife Ao Vivo

CBN Recife

00:00
00:00
Notícias

Pernambuco amplia rede de abrigamento para mulheres vítimas de violência doméstica 

Por: REDAÇÃO PORTAL
Através do projeto Acolhe serão ofertadas vagas para abrigar mulheres em situação de violência, que não se enquadram na Lei de Abrigamento do Estado, na rede Accor de hotéis de Pernambuco.

Foto: José Britto

14/12/2021
    Compartilhe:

A Secretaria da Mulher de Pernambuco (SecMulher-PE), o Instituto Avon e o Instituto para o Desenvolvimento Sustentável (INDES) assinaram, nesta terça-feira (14/12), um Termo de Cooperação Técnica para oferecer abrigo emergencial para mulheres vítimas de violência doméstica e de gênero. Através do projeto Acolhe serão ofertadas vagas para abrigar mulheres em situação de violência, que não se enquadram na Lei de Abrigamento do Estado, na rede Accor de hotéis de Pernambuco.

A secretária estadual da Mulher, Ana Elisa Sobreira, explica que essa parceria vem suprir uma lacuna de mulheres que precisam de acolhimento provisório e não se encaixam no perfil de risco de morte previsto nas normas das quatro casas abrigo do Estado. “Com o abrigamento na Rede Accor de Hotéis, ampliamos o perfil das mulheres a serem acolhidas pelo estado ampliando a nossa meta de salvar vidas de mulheres”, diz Ana Elisa.

A gerente de causas do Instituto Avon, Regina Célia Barbosa, fala dos cinco pilares que esse programa tem para oferecer as mulheres que são o “resgate”, e acolhimento, hospedagem, suporte emocional, capacitação e inserção da mulher no mercado de trabalho. “Nosso empenho será para recuperar o ânimo e a esperança dessas mulheres através de escuta ativa, abrigar num local com segurança e acompanhamento, ter sensibilidade para ouvir e acolher, além de formação, treinamento resgatando o autocuidado e a autoestima”, completa Regina Célia.

A diretora do Departamento de Polícia da Mulher (DPMUL-PE), Fabiana Leandro, comemorou a iniciativa. Segundo ela, as vítimas de violência doméstica chegam nas delegacias, por vezes, de madrugada e precisam de um lugar provisório para ficar para podermos reconduzi-las à sua família em segurança.   

Estatísticas do Estado apontam que o risco de mulheres, que passam pelo sistema de abrigamento, chegarem ao feminicídio é quase zero. A defensora Pública, Virgínia Moury Fernandes , acrescenta que o Estado trabalha com um público muito vulnerável de mulheres que precisam desse apoio. “Muitas após serem vítimas de violência não têm para onde ir e Pernambuco sai na frente com o apoio do Instituto Avon”, revela. 
 
Projeto Acolhe

O programa tem como objetivo complementar os serviços ofertados pelo Estado de Pernambuco para mulheres vítimas de violência e seus(uas) filhos(as), menores de 18 anos, que precisem de abrigo provisório e se enquadram no perfil de atendimento do Acolhe. É oferecido abrigamento nas redes Accor de hotéis, por até 15 dias, por família e incluem alimentação, serviço de lavanderia, atendimento multiprofissional, além de um curso à distância de preparação para o mercado de trabalho.
 

Notícias Relacionadas

Comente com o Facebook